Arte contemporânea

Ontem foi o dia de ver história; hoje, tirei para ver arte e design. Peguei o metrô cedo porque queria conhecer a Hauptbahnhof, que é a estação central da cidade. Toda de vidro (para variar), o negócio é bem impressionante, deixa no chinelo muito shopping que eu conheço.

Estação central da cidade
Estação central da cidade

Meu destino era o Hamburger Bahnhof, que é um museu enorme de arte contemporânea. O jardim tem instalações bacanas e o prédio é lindo.

Dá para fazer arte com containeres

Vi uma exposição que me deixou encantada; aquarelas figurativas, representando animais com bastante realismo em cenas de violência, enormes! Como é que o sujeito consegue molhar o papel sem estragá-lo? Esses papeis de aquarela são bem delicados e as pinturas eram imensas e detalhadíssimas.

Havia um curta metragem muito interessante sobre nazismo; várias instalações incompreensíveis (apesar de algumas muito belas ou instigantes) e uma seção inteira do Andy Wharol (adoro!).

Só para ter ideia das aquarelas; essa devia ter um 3 m de comprimento
Sendo em Berlim, não poderia faltar essa obra sobre o comunismo, né?
Neon e erotismo

Pois é, o problema é que a livraria do museu estava com uma liquidação ótima até mesmo em euros e acabei saindo de lá com uns 5 kg nas costas para carregar o dia inteiro. Pessoa viciada faz essas coisas mesmo, fazer o quê?

Caminhei um montão e fui parar na Oranienburger, um lugar famoso por que já foi uma das maiores áreas de judeus da cidade (a maior parte das pessoas que morava lá foi deportada para campos de concentração) e hoje em dia por causa dos artistas alternativos que vivem lá. A rua tem um monte de casarões abandonados que foram ocupados por ateliês. O negócio é meio sinistro, parece tudo bem underground, mas é cheio de surpresas muito interessantes. E já que o dia era de arte contemporânea, mandei ver. Olha só que achados!

Vista de um dos pátios
Vista de um dos pátios

Esse aqui eu gostei muito
Tem muito grafite bacana
Esse é o patio de principal atelier, onde vários artistas compartilham o espaço
Fachada de um dos ateliers

Lá mesmo, na Oranienburger Straβe, visitei uma exposição sensacional de fotografia numa galeria instalada num desses casarões (mas pelo menos esse estava reformado), chamada C/O Berlin. Recomendo.

4 Respostas

  1. Humberto
    Responder
    2 junho 2010 at 6:50 pm

    Olás!

    Achei seu blog por acaso. Coloquei no Google “poltrona descolada” daí veio o seu link. É que eu tô à procura de uma prá colocar na minha sala. Adorei seu estilo e já pus no meu FAVORITOS. Agora tô te acompanhando nesta viagem a Berlim, que eu não conheço mas sei que deve ser incrível mesmo. Tô adorando as fotos. Ai, esta internet é tudo de bom, né? Sou mineiro, de BH. Abraços e que v. ache bastante coisas legais e mostre prá gente que tá aqui tão longe!

  2. 2 junho 2010 at 8:23 pm

    Algumas já timha visto , mas mesmo assim as imagens são belas.

    Carlos

  3. 2 junho 2010 at 8:50 pm

    Lígia, tuas fotos são ótimas!
    Como Berlim é colorida hoje em dia!
    Ainda bem que já passou há tempo a fase cinzenta…
    Beijo,
    Renata

  4. 2 junho 2010 at 10:19 pm

Deixe um comentário

* Todos os campos são necessários