Benchmarking de aeroporto

Pois é, preciso confessar que sou uma mulher que viaja às custas das milhas do marido (claro que tinha que ter um truque né? Ou vocês achavam que eu era rica para poder ficar indo e voltando de Berlin na maior moleza? Eeheheh..).

Dessa vez as milhas disponíveis eram da Air France e a passagem que consegui era uma operação conjunta com a Alitalia. Então entrei na Europa por Roma, depois fui a Amsterdam e só depois para Berlin. Graças às minhas fervorosas preces à Nossa Senhora das Bagagens Extraviadas, minha mala chegou junto comigo, contra todas as expectativas.

Em Roma foi uma delícia chegar ouvindo todo mundo parlando alto; me senti em casa (ainda não visitei a Itália; estou sonhando com isso). Rolou um certo stress (minha bolsa sumiu na fila de inspeção do Raio-X, mas depois dessa mulher fina que vocês conhecem ter armado um barraco — acho que na Itália tá valendo — e gritado exigindo a presença da polícia, a bolsa apareceu milagrosamente, vejam que coincidência), mas no final, fiquei com pena de não podido visitar a cidade, que parece deslumbrante vista de cima.

Mas a maior surpresa mesmo foi o aeroporto de Amsterdam. Não sei vocês, mas para mim aeroporto é que nem shopping; uns maiores, outros menores, mas a maior parte é mais do mesmo. Não conheço tantos aeroportos assim, mas o troféu Top One ficou, sem sombra de dúvida, para Schiphol, em Amsterdam.

Gente, aquilo é que é aeroporto, o resto é rodoviária melhorada (em alguns casos, piorada). Já cheguei estranhando o silêncio que impera no lugar, apesar do número de pessoas e da enormidade do local (desembarquei no portão H43 e minha conexão era no D82; calculem). O tratamento acústico é perfeito e cada vez que um vôo é chamado, a voz da moça parece música; dá para ouvi-la respirar, de tão limpo é o som.

Havia duas lojas de flores, sementes e bulbos dentro do aeroporto (não é à toa que a Holanda é famosa por suas flores maravilhosas). Mas o que mais me chocou foi a sala de espera. Gente, tinha árvore de verdade plantada; um verdadeiro projeto de paisagismo e integração de mobiliário. Deu vontade de morar lá, juro.

Vou deixar vocês com uma amostra das imagens; só posso dizer que se o aeroporto é assim, imagina só a cidade. Amsterdam já estava na lista de desejos, mas agora foi para a categoria “urgente: não posso mais viver sem“.

Floricultura dentro do aeroporto
Praça central cheia de árvores, pro povo relaxar nos pufes enquanto espera o vôo
É uma verdadeira floresta dentro do aeroporto
Nada daquelas cadeirinhas de tortura medieval...
Como na maioria dos aeroportos grandes, aqui também tem esteira rolante nos corredores. Mas nunca tinha visto com projeto de paisagismo incluso...
Os aeroportos deviam usar esse aí como benchmark
Até na sala de embarque tem plantinhas

A propósito, sei que estou com 653 e-mails para serem lidos e tem gente esperando. Mas ainda não conseguir dar conta; bitte, um pouco mais de paciência…

8 Responses

  1. Avatar
    26 novembro 2011 at 9:24 pm

    Muito bom! Além de ser agradável e confortável, o projeto paisagístico deve ajudar no combate a ansiedade antes do vôo (algumas pessoas, como eu, detestam aviões!).
    Há algum tempo atrás estive pesquisando sobre wayfinding e encontrei diversas referências sobre Schiphol:
    Aqui uma entrevista: http://www.mijksenaar.nl/press/7-on_the_how_and_why_of_wayfinding_at_schiphol_airport.html
    E aqui o livro: http://www.mijksenaar.com/content/46-books.html

    [ ]’s

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      27 novembro 2011 at 11:25 am

      Puxa, que ótimas dicas, Marcos! Obrigada mesmo, adorei 🙂

  2. Avatar
    26 novembro 2011 at 10:42 pm

    Que beleza! A Lígia voltou!!!
    Voltou pra lá… de onde ela continua a nos brindar com informações interessantes sobre o velho (velho?) mundo.
    Seja bem-vinda! (ou seria “bem ida”?)

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      27 novembro 2011 at 11:26 am

      Adorei o “bem ida”! Eehehehe… pois é, agora vou voltar à carga com novidades do frio….brbrbrbrbrrrr…..

  3. Avatar
    Luciane
    Responder
    27 novembro 2011 at 9:48 am

    Que delícia de post Lígia…..adorei…!!! Amo observar aeroportos e como vc diz, é sempre a mesma coisa, uns mais outros “bem” menos…….mas o de Amsterdam superou as expectativas….tbém está na minha lista de desejos imediatos….ehehehe
    Tudo de maravilhoso pra vcs aí….curta bastante o glamour do inverno….!!!
    Bjos 🙂

  4. Avatar
    Fatima
    Responder
    30 novembro 2011 at 10:30 am

    Ôba, tô indo junto, ainda que virtualmente, direto daqui do litoral sul de Santa Catarina a passear pela Europa! Parafraseando seu amigo: Seja bem ida, de volta!
    Fatima/Laguna/SC

    • Avatar
      30 novembro 2011 at 10:43 am

      Fátima
      Já que eu fui citado no seu comentário, permita-me duas observações.
      1) Eu também sinto a mesma coisa: quando a Lígia viaja é como se a gente estivesse indo junto, conhecendo lugares e aprendendo coisas;
      2) Litoral Sul de Santa Catarina. Laguna. Show! Estou encantado com a sua cidade, desde janeiro, quando a conheci. Minha filha é estudante de Arquitetura aí, na Udesc.

  5. Avatar
    Fatima
    Responder
    30 novembro 2011 at 2:00 pm

    Caro Ênio: não sei quem é a futura arquiteta e também não sei de onde é sua familia. Entretanto voce me fez lembrar de uma linda moça com quem conversamos outro dia.
    Acho que seu nome começa com I(se não me engano) Foi muito interessante porque eu estava caminhando no calçadão com meu marido e era o começo de uma noite muito calma. A garota estava com um cachorrinho e eu puxei assunto. Uma jovem muito serena e simpática . E expliquei quem éramos nós . Também tenho uma sobrinha neta que tá fazendo Arquitetura ali. Eu fiz UDESC (Ed. Fisica em Fpolis) e considero esta uma excelente instituição. O reitor Sebastião formou na mesma turma que eu em 1976. No que precisar da gente, cá estamos em: fbarreto@bizz.com.br
    Abraço. Fatima

Leave A Reply

* All fields are required