Utopia vermelha

Ficção científica é um tema que me atrai, mas o contexto em que “Der Rote Planet” (Tradução livre: “O planeta vermelho”), de A. Bogdanow, foi escrito, torna a leitura mais atrativa. O livro foi publicado pela primeira vez na Rússia,  em 1908, sob pseudônimo. O autor, Alexander Malinowski, era um médico, revolucionário e filósofo. Ele acreditava que se podia recuperar a juventude fazendo transfusões de sangue (criou o primeiro instituto para essas pesquisas). Ironicamente, morreu após receber sangue contaminado com malária e tuberculose.

O exemplar que encontrei num sebo foi publicado em 1986, na antiga Alemanha Oriental, como parte de uma coleção recomendada para jovens.

Continue reading “Utopia vermelha”

Um passeio por Leuven

É uma cidade universitária a 30 km de Bruxelas cheia de centros de pesquisa onde tive a oportunidade de passar o final de semana. Tem cafés maravilhosos, arquitetura belíssima e uma história muito interessante. Do século XI a XV, Leuven foi o centro comercial da província, e a riqueza aparece nos seus prédios, principalmente a […]