O cérebro é mais que pink

Neurociência foi um assunto que sempre me fascinou, apesar de biologia não estar entre minhas matérias prediletas. Por isso, ao comprar livros na Amazon, quando apareceu “The Brain: the history of you “( Tradução livre: “O cérebro: a história de você”) na lista de sugestões, de David Eagleman, não tive dúvidas: levei.

Muita coisa já tinha lido em outros artigos e livros; mas não tudo compilado num lugar só. Vou resumir então as principais ideias desse que pode ser um bom candidato a seu livro de cabeceira.

O autor usa experiências realizadas no campo da neurociência para tentar responder perguntas que sempre nos intrigaram. Quem sou eu? O que é a realidade? Quem está no controle? Como eu decido? Eu preciso das outras pessoas? Quem seremos no futuro?

 

Quem sou eu?

Eagleman nos conta que o cérebro de um humano, ao contrário do dos outros animais, nasce impressionantemente inacabado. É como se, ao nascer, tivéssemos todo o equipamento, mas faltassem todas as conexões. O número de células num cérebro é praticamente igual em crianças e adultos; o que diferencia é o número de conexões entre elas. Até os três anos, a velocidade com que elas se multiplicam é impressionante (cerca de 2 milhões de conexões por segundo!). Mas, quando a gente se torna adulto, perde cerca de metade dessas conexões. Isso acontece porque perdemos as sinapses que não usamos (eu já tinha falado disso aqui). Continue reading “O cérebro é mais que pink”