Tokio

Confesso que sou fascinada por histórias que se passam no Japão; talvez por isso goste tanto do Harumi Murakami, mesmo quando ele não está lá muito inspirado.

Então, quando peguei Tokio, da Mo Hayder (parece ser uma famosíssima autora; eu é que não conhecia), não pude resistir.

A história é sobre Grey, uma estudante britânica de vinte e poucos anos que vai a Tokio procurar um professor chinês que está morando na cidade. Ela é especialista em história e está obcecada por encontrar um filme amador rodado durante a invasão japonesa na cidade de Naquim, na China, em 1937. O professor viveu o traumático episódio, mas não quer falar a respeito. Tudo começou porque ela leu um livro sobre essa invasão em sua infância, passada em casa (ela nunca foi à escola quando criança; recebeu educação dos próprios pais em um sítio).

Grey tem vários segredos, uma cicatriz misteriosa e  várias partes de sua vida mal explicadas. Ela passa meses em Tóquio e até se envolve com a Máfia local, na esperança de descobrir mais informações sobre a tal guerra que parece ter forte relação com o seu passado.

A história é muito bem tramada e tem flashbacks do evento que o professor viveu, em 1937, narrado por ele mesmo. Há muita dor, muito horror, muita desumanidade e muita violência, como é comum nas guerras. Sendo que as mulheres são sempre as que sofrem mais…

A trama vai se desenrolando aos poucos; impossível largar o livro antes do final.

Mais que recomendo. Vou procurar outros livros da autora.

Homo Deus

No começo, a natureza era coisa mais importante do mundo, e a religião dominante era o animismo. Depois vieram os deuses externos (o Teísmo) como principal referência para as decisões. Agora, a figura mais importante da galáxia é o Homo Sapiens, com suas religiões humanistas. Onde é que vamos parar com isso (se é que vamos)?