Chuva em Berlim

O verão, que já devia ter dado as caras por aqui, anda atrasado por conta do vulcão (aquele islandês de nome impronunciável) que também trouxe muita chuva. Como consequência, a gente está se molhando muuuuito.

Hoje o Conrado conseguiu uma folguinha para sair comigo e aproveitamos para dar uma volta no comércio. Comprei minhas botas de moto e andamos olhando algumas coisas para a casa também (ele quer mais uma cafeteira; aqui é o paraíso para esse tipo de coisa). As lojas de departamento são gigantes como é comum em cidades cosmopolitas (na Saturn eram 3 corredores inteiros só de fones de ouvido), mas a maior loja daqui se chama KaDeWe, ocupa quase um quarteirão e tem 5 andares (lembra a Galleria Lafayette, em Paris). Não dá para fazer muitas comprinhas porque quando a gente transforma Euros em reais, dá aquela desanimada, mas só olhar já é bem bacana.

No quinto andar, especializado em gastronomia, a seção de chás é de enlouquecer mesmo quem não toma chá. Fiquei encantada também com as embalagens de azeites, pimentas e temperos (dois corredores inteiros de azeite, imagine!); simplesmente sensacionais. Pena que não dá para fotografar dentro da loja, senão iria ser uma verdadeira aula de design. Aliás, quando eu estiver indo embora vai começar uma mostra de design que está me fazendo torcer para o vulcão dar as caras de novo e trancar os aeroportos. Juro que não é por mal…

Também visitamos uma galeria de arte especializada em fotografias. É de babar; dá vontade de levar tudo para casa.

Amanhã vou explorar a cidade sozinha (adoro explorações turísticas) e perderei meu tradutor automático de alemão (o Conrado). Mesmo com ele, meu vocabulário já se ampliou uns 30%. Se eu vier mais vezes, acabo aprendendo a falar, pois não parece tão difícil.

Essa igreja foi destruída durante a guerra e foi deixada assim para ninguém se meter numa coisa assim de novo
Essa igreja foi destruída durante a guerra e foi deixada assim para ninguém se meter numa coisa dessas de novo

Meinecke é o nome de família da mãe do Conrado. Só faltou um "c" na placa
Olha o tamanho do caminhão (devia se chamar caminhinho...eheheh)
Mesmo com chuva, a cidade é bem colorida
Arte contemporanêa na rua mais comercial

Uma das coisas que estou adorando aqui é que as ruas são cheias de carros lindos e pequenininhos. Smarts e mini-coopers aos montes e nenhuma Hilux, Tucson, Pathfinder, Ecosport ou congêneres. A cidade fica muito mais linda, pode acreditar!

2 Responses

  1. Avatar
    Clô♥
    Responder
    31 maio 2010 at 9:29 pm

    Parece muito linda cidade , achei a igreja impressionante! Muita limpa e tudoparece em ordem. A escultura é muito linda parecem elos abertos (liberdade?)
    DTA.♥

  2. Avatar
    2 junho 2010 at 11:39 am

    Que legal!!!
    Poste as dicas, estou indo pra Berlin mes que vem!!!

Leave A Reply

* All fields are required