Falando em ler…

Se eu tivesse uma TV seria uma assim, da
Se eu tivesse TV seria uma assim, da LG

Toda vez que ouço as pessoas me explicarem que não lêem mais porque trabalham demais e falta tempo, acabo me sentindo a maior malandra e desocupada do bairro. Trabalho bastante, mas, como estou sempre com um livro na bolsa, não me chateio em filas e nem esperando reuniões que nunca começam na hora. Convém sempre ter alguma coisa para ler no banheiro e ao lado da cama. Mas tem outro segredo: não tenho televisão.

Eu tinha uma bem velhinha e pequena e, quando me mudei no começo do ano para morar com meu amor, resolvi doá-la. O Conrado já vive há anos sem TV e eu estou gostando da novidade, até agora não fez falta nenhuma. Uma casa com 4 gatos, cheia de livros e com Internet banda larga pode tranquilamente dispensar o equipamento, acreditem em mim.

Não que eu não goste dessa caixinha de fazer malucos. Adoro. Só não tenho paciência. Os programas que mais gosto são da TV a cabo (fico que nem criança pequena quando passa o GNT Fashion ou a TV está ligada no Animal Planet e na National Geographic), mas a hora assistida acaba saindo muito caro. Além do mais, como estou pagando, acabo me sentindo na obrigação de assistir. De qualquer forma, mesmo O Reino dos Suricatos, que consegue me hipnotizar, começa a ficar repetitivo depois do quinto episódio.

Então faço assim: como viajo com relativa frequência (tomara que esse ano seja bastante), me farto de ver TV nos hoteis. Começa sempre com alguma coisa bacana (tipo “Irritando Fernanda Young“), mas depois de horas zapeando fico com a sensação de que perdi tempo e não consigo explicar nada do que assisti. E volto para casa feliz por não ter TV.

Fica a dica, experimente!

6 Responses

  1. Avatar
    28 janeiro 2010 at 4:07 pm

    Aqui em casa também não assisto TV, além da coitada estar velha e com cores distorcidas. Sou do grupo dos livros, revistas e internet.

    TV a cabo é como piscina. É legal na casa dos outros, pois o tempo que você a usa e o trabalho e gastos que dá, não vale a pena ter. Hehe.

    Quando vou na casa da minha noiva, fico que nem criança vendo os canais da Discovery.

  2. Avatar
    nina florence barros
    Responder
    28 janeiro 2010 at 6:08 pm

    Eu concordo contigo, cada vez mais assisto menos Tv, até porque não tem nada q me agrade, só na tva cabo, mas, ai tem a concorrência dos filhos, heheehehe. Às vezes me sinto até um et, conversando com as pessoas, quando falo q não assisto novela, e muito menos bbb, todo mundo fica apavorado. Bjs adoro teu blog.

  3. Avatar
    29 janeiro 2010 at 10:13 am

    Oi Lígia…
    Qdo fiz minha mudança não comprei TV propositadamente. Hoje digamos que dobrei minhas páginas lidas por semana.

    Bjsss

  4. Avatar
    29 janeiro 2010 at 10:19 am

    Aqui em casa tem a TV da sala e a do quarto da mami, as duas com tv por assinatura. Não vou dizer que não assisto, afinal tem as séries que eu adoro, e vez por outra passa um filme legal. Mas eu só não dispensaria uma TV na minha casa por dois motivos: meu box novinho com as temporadas completas de FRIENDS, e meu vício em videogames =)

    Olhaí, meu negócio é com o aparelho, e não com a transmissão rsrsrrs!

  5. Avatar
    Ivan Gomes
    Responder
    29 janeiro 2010 at 6:30 pm

    Lígia:
    Também gostei do teu artigo no Acontecendo Aqui sobre a Pirâmide Bibliográfica. (E ruminar alcachofras? Legal. Gostei.)
    Quanto à televisão, acho que perdi o hábito. Faz tempo. Nem lembro a partir de quando. Hoje não acho graça alguma. Ligo eventualmente quando um canal aberto (a cabo em casa é para a Internet; os canais disponíveis não conheço a grade de programação; realmente parece que não estou mais a fim) vai transmitir jogo do Inter. Aí dou uma zapeada e não encontro nada que possa ruminar (digamos), como quem rumina alcachofras, tipo a Lígia Fascioni no artigo acima. É mais ou menos isso. Inté (r).

Leave A Reply

* All fields are required