Festival Internacional de design de Berlin

Nossa, acontece tanta coisa nessa cidade que a pessoa não dá conta nem de saber, quanto mais de ir nos eventos. Para se ter uma ideia, fiquei sabendo que a Madonna vai cantar aqui dia 30 e nem vi propaganda nenhuma (os ingressos já estão esgotados).

Mas eu não podia perder o International Design Festival Berlin 2012, né? Acabei indo só na exposição, mas já valeu demais; festa para os olhos é pouco.

O evento aconteceu em um dos hangares do Tempelhof, um aeroporto construído em 1927 e desativado em 2008 porque estava muito dentro da cidade (a arquitetura é linda e esse lugar histórico merece um post específico, aguardem).

Mas você está pensando naquelas mostras sofisticadas e arrumadinhas, tipo Casa Cor? Nada mais diferente! Aqui a coisa é bem despojada (a cara de Berlin) e tinha desde um carro do patrocinador até coletivas de estudantes e pesquisas com objetos do cotidiano bem conhecidos. Todo mundo bem à vontade, como se estivesse em casa…

Além da exposição, nos 4 dias do evento aconteceram também um simpósio, premiações, workshops, visitas a estúdos e palestras diversas. Os experimentos e materiais dos workshops estavam bem no meio da exposição, com o povo trabalhando ao vivo e a cores. Aliás, tinha muita gente produzindo objetos em tempo real, sujando a mão mesmo.

Só senti falta do design brasileiro, que não estava representado na mostra, sabe-se lá por quê…

Mas chega de blablabla e vamos ao que interessa: as fotos!

Quase morri de rir com isso. É que tinha uma parte da exposição mostrando objetos cotidianos da China; olha que prática uma cueca para políticos...eheheh (mudando de assunto, a China já parou de copiar faz tempo; o design deles já está chamando atenção do mundo).
Fiquei muito impressionada com esse guarda-chuva holandês; tinha um vídeo mostrando várias situações de ventania, até um cara pulando em queda livre antes de abrir o pára-quedas e ele não vira de jeito nenhum, é quase milagroso!!!
Que tal estampar um tapete com a imagem de satélite de sua cidade ou bairro? Adorei!
Esse designer explorou as várias possibilidades de sentar; ele usava discos de borracha para tornar as cadeiras alternativas mais confortáveis (os discos eram produzidos ao vivo!)
Tinha muito trabalho manual e esse sujeito fazendo um tricô gigante fez sucesso. As texturas e o design de superfície estavam causando (a Renata Rubim iria surtar)
O painel feito de caixas de papelão amarradas com cintas ficou muito bacana; todos os armários e móveis desse estande usavam o mesmo princípio.
Esse banquinho foi o meu preferido de toda a exposição. Não é muito fofo?
Poltronas feitas de sucata de avião e pelego; aproxima bem as pessoas, perceba que um assento é virado de frente para o outro, numa peça só.
Baguncinha boa de workshop...
Esse chão é maravilhoso: dá para fazer qualquer coisa que fica show!
Lanchinho na pista; lembra que o evento era num aeroporto?

Legal, né? Mas tem muito, mas muito mais mesmo! Clica aqui e vai direto no Flickr visitar a exposição!

1 Response

  1. Avatar
    Luiz Andreto
    Responder
    11 junho 2012 at 5:42 pm

    Criatividade infinita.
    Fantástico como essa cidade usa, abusa e se lambusa de criatividade!
    E que bom que temos vc como Designpinsel (!) para nos dar uma pincelada de tudo que acontece por aí!

Leave A Reply

* All fields are required