Lendo laranjas

Sempre tive verdadeira paixão por bibliotecas; quando entro numa, fico tão comovida que quase consigo imaginar o que uma pessoa muitíssimo religiosa sente ao entrar numa igreja.

Não me canso de me deslumbrar só de pensar no tanto de gente que trabalhou, estudou e se dedicou para produzir todo o conteúdo que mora nessas casas sagradas. Tenho uma lista enorme de templos desses para visitar, acho um programão; fico só imaginando como seria se a Biblioteca de Alexandria ainda existisse e fosse possível visitá-la.

O ponto de alto de toda biblioteca é a sala de leitura e já visitei algumas bem lindas, como a Biblioteca Nacional, no Rio de Janeiro e a da Universidade de Coimbra, em Portugal, mas nenhuma foi tão impressionante até agora como o da Biblioteca da Universidade Alexander von Humboldt (veja aqui as fotos).

Bom, acontece que eles estão reformando o que seria o equivalente à Biblioteca Nacional Alemã aqui em Berlin. Como nessa cidade tudo é duplicado, o acervo está dividido em duas partes: uma na Unter den Linden (onde era o lado oriental) e outra na Potsdamer Platz (onde era o lado ocidental), quase em frente à Filarmônica. Juntas, elas somavam quase 3 milhões de livros, mas estima-se que quase 1 milhão foram parar sabe-se lá onde na época das guerras.

Bom, ambas estão em reforma há anos (reforma e reconstrução é um hobby dos berlinenses…rsrsr) e a previsão para ficarem prontas é  2016.

Acontece a sala de leitura de uma delas recém ficou pronta. Para quem não é associado, só é possível visitar algumas partes em uma visita guiada (só em alemão, sorry). Pois sábado de manhã fomos conhecer esse lugar mágico num tour guiado que durou quase uma hora e foi uma grande surpresa quando vi que a sala de leitura é toda cor de laranja!

A maioria dos livros ocupa o resto do prédio (enorme) e só uma pequena parte é acessível da sala de leitura. Pena que não deu para visitar a seção de mapas e globos (adoro!!).

Ah, olha só uma curiosidade: como se sabe que bibliotecas quase nunca são prioridade e sempre tem um maluco que acha que pode dar um uso melhor para o prédio, desde a concepção original as colunas de metal das estantes passam por dentro da estrutura do prédio, sendo impossível retirá-las. Ou seja, não dá para fazer nada melhor que uma biblioteca em um prédio imenso onde não dá para retirar as centenas (ou milhares) de estantes. Muita astúcia a desses arquitetos…

Mas vamos então dar uma voltinha para conhecer essa belezura…

Slide1

L1080479

L1080473

L1080467

L1080463

L1080474

L1080470

L1080472

 

2 Responses

  1. Avatar
    Andrea Rosti
    Responder
    9 julho 2013 at 4:14 pm

    Oi Ligia. A escolha da cor laranja deve ter sido proposital. Dizem que a cor está associada à criatividade e o seu uso desperta a mente e auxilia no processo de assimilação de novas ideias. Adorei!

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      10 julho 2013 at 4:11 am

      Com certeza foi proposital, Andrea! Mas eu nunca tinha visto isso e bibliotecas; só não gostei muito porque eu detesto cor de laranja (e só ver o meu blog)….ahahahahahaha

      Muito obrigada pelo esclarecimento, é bem por aí!

      Beijos!

Leave A Reply

* All fields are required