O que sucede?

IMG_1331

Já faz um bom par de semanas que escrevi um texto citando o Tim Brown onde falava sobre os benefícios de cercar-se de pessoas bem-sucedidas (leia aqui) e até hoje recebo e-mails de gente reclamando da abordagem “elitista”, “preconceituosa” e claramente “interesseira”.

É possível que seja uma pessoa só com vários endereços falsos e uma pia de louça vazia em casa, mas vai que são várias mesmo, né? Pela quantidade de mensagens desaforadas, desconfio que o problema é que talvez não tenha ficado suficiente claro o conceito de sucesso.

Ok, então vamos lá.

Sucesso, minha gente, é um substantivo derivado do verbo suceder, que quer dizer acontecer, realizar. Ou seja, sucesso é o que acontece, o ocorre, o que se produz, o que se realiza. Quando a gente fala que uma pessoa é bem sucedida, significa que aconteceu aquilo que ela queria que acontecesse (ou melhor, na maioria esmagadora dos casos, ela fez acontecer).

Vai daí que, como cada um quer que aconteça uma coisa diferente, varia muito o que cada um considera sucesso.

Para alguns, ter sucesso é ganhar muito dinheiro. Se a pessoa queria muito isso e fez acontecer, ótimo. Sucesso!

Para outros, sucesso é ter saúde e tranquilidade. Certamente conseguir isso dá bastante trabalho, pois exige auto-conhecimento e disciplina, no mínimo. Que ótimo se o bem-sucedido conseguiu; abração e parabéns para ele.

Tem gente que tem como objetivo principal na vida encontrar alguém para dividir a existência; quando encontra, é um sucesso cheio de coraçõezinhos.

Há quem não possa considerar uma vida bem-sucedida sem filhos. Outros não prescindem de viagens. Alguns não abrem mão de amigos ou família como principal critério. Há os que necessitam traduzir as conquistas no currículo profissional. Há os que querem tudo isso e ainda precisam de um Maverick 1975 todo original e restaurado na garagem para dar o trabalho por encerrado.

Enfim, sucesso é um conceito totalmente elástico e adaptável. O sujeito pode estar morando numa favela e se achar o rei da cocada preta porque conseguiu namorar a menina mais bonita da comunidade. Outro, que costuma faturar todo mês um milhão de dólares, pode se sentir um fracassado porque a média no primeiro trimestre foi só 600 mil. Enfim, o sucesso, como quase tudo na vida, é total e absolutamente relativo.

E não tem certo ou errado. Se a pessoa considera sucesso ter joias, carro importado e roupas de grife, por que não? É do sucesso dela, não do seu, que estamos falando. Cada um sabe o que é melhor para si e define seus próprios critérios para considerar que chegou lá (lembrando que há tantos “lá” quanto habitantes na face da terra).

Além do mais, o ser humano cresce, passa por mudanças, vive experiências, e acaba mudando de opinião, de gostos, de referências, de objetivos e do que considera sucesso também.

Então, quando escrevo que faz bem se cercar de gente bem-sucedida e a pessoa lê que só gosto de gente fina, rica e elegante, o conceito de sucesso dela é que está distorcido, não o meu.

Admiro gente que sabe o que quer e faz acontecer. E se ainda não descobriu o que quer (normal) ou não consegue fazer acontecer, segue buscando, em vez de colocar a culpa nos clientes, no chefe, no destino, no governo, no mercado, no capitalismo, na lua que está em saturno, na mocinha da novela, no gosto musical dos vizinhos, nos invejosos que não largam do seu pé, nos chatos do Facebook ou até mesmo nos textos de blogueiras elitistas…

Sucesso, minha gente, é algo pessoal e intransferível.

Faça o seu.

****

Caso interesse saber, veja aqui a A chave do fracasso.

12 Respostas

  1. Diana
    Responder
    12 agosto 2013 at 2:08 pm

    E o melhor de nos cercarmos de pessoas bem sucedidas, automaticamente estamos nos cercando de pessoas de bem com a vida né?

    Escrevendo bem como sempre, parabéns.

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      12 agosto 2013 at 3:38 pm

      Verdade, Diana! Gente feliz não tem tempo para reclamar da vida 🙂
      Beijos e sucesso para você!

    • Camila
      Responder
      19 agosto 2013 at 5:23 pm

      Verdadeeeee! Afinal quem faz acontecer não tem tempo a perder!

      Sucesso para nós! Deixa eu voltar ao meu trabalho!

      Beijos!

  2. Flávia Russo
    Responder
    12 agosto 2013 at 2:11 pm

    Perfeito!!

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      12 agosto 2013 at 3:38 pm

      Obrigada, Flávia. E sucesso 🙂

  3. Daniella Facchinetti
    Responder
    12 agosto 2013 at 5:50 pm

    PERFEITO!!!

  4. tais tozatti
    Responder
    12 agosto 2013 at 10:19 pm

    ô menina pra escrevê bem, sô!!! Lígia, amo o jeito que você escreve e me sinto mais inteligente cada vez que leio seus posts!
    Obrigada e parabéns!!!

    • 12 agosto 2013 at 10:43 pm

      Se tivesse um botão de “curtir” aqui no blog da Lígia eu iria curtir o comentário da Tais Tozatti. É isso aí. Faço minhas as suas palavras: (as palavras da Lígia e da Tais)

  5. Camila
    Responder
    19 agosto 2013 at 5:21 pm

    Adorei! É isso aí! Vai ver a fulana esta se esforçando pra entender! Agora talvez fique mais claro para ela. É o tipo de gente que diz: Fulano me tratou mal! Quem ele pensa que é? Nem rico ele é!

    kkkkkkkk

  6. 13 fevereiro 2015 at 2:30 pm

    Depois de 30 anos trabalhando na indústria e colecionando insucessos, hoje percebo o quão bem sucedido eu me tornei abrindo a própria empresa, não recebendo salários, fazendo contas no fim do mês, entre outras coisas, mas me sentindo a pessoa mais feliz do mundo. Para muitos isso seria o cumulo do fracasso, para mim o nirvana pessoal.

Deixe um comentário

* Todos os campos são necessários