The Echo

Uma bela arquiteta chega em casa e estaciona seu carro na garagem de sua bela casa em um belo (e caro) condomínio fechado em Londres. Sente um cheiro enjoado (já tinha sentido dias antes, mas agora está forte demais) e resolve procurar o que pode ser. Ao lado do freezer (cheio de comida, por sinal), encontra um maltrapilho morto, em estado de decomposição. Causa Mortis: inanição. Por que o homem escolheu a sua casa para morrer? Por que não pediu ajuda? Por que não pegou a comida?

A vida da moça é bem complicada (um marido desaparecido que aparentemente deu um desfalque no banco em que trabalhava) e não melhora quando ela encontra um jornalista disposto a investigar melhor a história.

Jornalistas são as almas mais atormentadas e mal resolvidas da literatura. Michael Deacon não é exceção. Com dificuldades de relacionamento e depois de dois casamentos mal sucedidos, ele se junta a um adolescente sem teto de 14 anos, um advogado idoso e aposentado e um especialista em imagens totalmente problemático e enrustido que trabalha na mesma revista para descobrir o sofisticado tricô entre Amanda Powell (a arquiteta) e outras pessoas desaparecidas e/ou assassinadas.

Mesmo em inglês (às vezes saio do alemão para não esquecer), achei The Echo, o quinto livro da britânica Minette Walters, um pouco difícil de ler. A história é bem intrincada, eles falam muita gíria e são muitos personagens para se prestar atenção, entre familiares, desaparecidos, envolvidos, suspeitos e policiais.

Apesar de tudo, a autora tem seus méritos. Sabe construir personagens consistentes e verossímeis, e, apesar da complexidade da trama, conseguiu me manter grudada até a página 428, onde tudo termina.

Se você curte policias, recomendo como uma boa pedida.

1 Resposta

  1. Essencial Prazer
    Responder
    19 novembro 2016 at 1:20 am

    Gostei. seguindo!!!!!!!

Deixe um comentário

* Todos os campos são necessários