Betahaus

Bar do Betahaus: lugar cheio de ideias

Gente, se hoje consegui postar o episódio 2 da série e trabalhar tranquilamente com um Wi-Fi decente, a culpa não é do Fritz; em última instância é do querido Guto De Lima.

O Guto me colocou em contato com um casal de designers que mora aqui em Berlin: o Estuardo (guatemalteco) e a Glória (portuguesa). Os dois recém concluíram o curso de design thinking oferecido pela universidade de Postdam (a 30 km daqui). São jovens, lindos, simpaticíssimos, cheios de ideias e muito gente fina mesmo. Adorei muito conhecer os dois.

Eles marcaram o encontro no lugar onde estou agora, o Betahaus. O conceito é muito bacana: uma antiga fábrica que foi transformada num espaço de co-working (trabalho colaborativo). Tem um café no piso térreo com excelente Wi-Fi grátis; dá para passar o dia inteiro, se quiser. Aqui estão várias pessoas trabalhando também (festival de MacBooks…ehehe) de várias áreas. São designers, gestores de projetos, arquitetos, escritores, administradores, consultores, programadores e todo mundo que pode levar seu escritório para um café.

Ainda no térreo tem uma sala enorme (pé direito industrial, show!) para a construção de protótipos de qualquer tipo de idéia. Você pode alugar a sala pelo tempo que quiser e compartilhá-la com outros que também estão prototipando alguma coisa. Tudo é bem rústico, e nos andares superiores tem uma sala de apresentações no formato de um anfiteatro pequeno e várias salas de uso comum. Você pode alugar uma sala ou uma mesa, como quiser. Ah, e acabei de descobrir que há duas quadras daqui tem uma loja que é o paraíso dos papeis e materiais para protótipos. Quase passei mal só de olhar aquilo tudo, juro!

A maior vantagem é a rede de relacionamentos que se faz aqui. Dá para ver que a criatividade borbulha pela cidade toda. Segundo o Estuardo, há vários desses espaços aqui em Berlin.

Outra coisa que eles me contaram é que Berlin é uma cidade pobre para os padrões alemães, pois não tem indústrias nem multinacionais, ou seja, não rola dinheiro grande. Quase todo mundo é freelancer ou tem empresas pequenas. Aliás, essa história de Berlin ser pobre eu já tinha ouvido, inclusive porque o prefeito Klaus Wowereit (assumidamente gay — adoro a cabeça aberta dos berlinenses!) cunhou o slogan numa entrevista que deu para a TV em 2004: Pobre, porém sexy! E esse é realmente o espírito da cidade. Berlin tem mais galerias de arte do que São Paulo deve ter farmácias. É impressionante mesmo ver a criatividade e a arte fervilhando por todo lado que se olha.

Em resumo: aqui é um ótimo lugar para aprender, ter ideias, criar coisas e fazer amigos, mas não para ganhar dinheiro. O povo usa aqui como base para atender outros países (que é também o que pretendo fazer mais tarde).

Vou continuar aqui trocando figurinhas com meus novos amigos e tentar, no ano que vem, fazer o curso de design thinking em Potsdam também. Ôba!!

Delícia trabalhar ao lado de um monte de gente criativa, mesmo que eu não conheça ninguém ainda...

4 Respostas

  1. Mauricio Manhães
    Responder
    26 agosto 2011 at 1:16 pm

    Lígia,
    Conheço o Betahaus. Uma proposta que cada vez mais está se espalhando pelo mundo. Em breve teremos um espaço parecido aqui em Floripa. Deixo essa mensagem por duas razões: 1. Concordar com as suas colocações a respeito de Berlin. É uma cidade MUITO interessante. Gosto muito desse clima oriental/ocidental, sub/desenvolvido. 2. Para dizer que, mais do que de Berlin, eu gosto mesmo é do teu texto: leve/profundo! Abs. Maurício.

    • ligiafascioni
      Responder
      26 agosto 2011 at 1:22 pm

      Nossa, Maurício, assim fico encabulada….ehehehe… você também escreve muito bem, viu? Sou fã do material que tem lá no Innova Service! Quem sabe a gente ainda vai tomar um café junto com a Guta e o Guto aqui no Betahaus!!!

  2. Estuardo
    Responder
    19 setembro 2011 at 5:05 am

    Hola Lígia,

    obrigado pelo post! Eu também adorei conhecer você! Ja quase terminei de ler o livro e ja comecei a aplicar as técnicas do GIIP em mim mesmo!

    Espero que a sua chegada em Berlim continue estando cheia de surpresas, adoro a forma como você vê o mundo e o compartilha com todos.

    grande abraço

    • ligiafascioni
      Responder
      19 setembro 2011 at 3:01 pm

      Oi, Estuardo!
      Que bom que você está gostando! Mande notícias da Austrália e um beijão na Glória!

Deixe um comentário

* Todos os campos são necessários