Natal cor de abóbora

Cheguei em Berlin dia 25, às 4 e meia da tarde, e já era noite. Fiquei encantada com o clima e as luzes (que foram acesas bem no dia em que cheguei, exatamente um mês antes do natal). Nossa, como é que pode uma cidade mudar tanto de uma estação do ano para outra?

No verão a cidade é toda verdinha e o dia vai até às 10 da noite. Agora, estamos no outono e as folhas estão caindo o tempo todo; ficam lindas antes da queda, completamente alaranjadas (algumas são de um vermelho bem vivo) e às 3 e meia já começa a escurecer. Com bosques inteiros de folhas caindo na rua, o serviço de limpeza quase não dá conta de recolhê-las todas; dá gosto de ver o tapete.

Confesso que sempre achei meio brega a decoração de natal, árvores, luzes e outros quetais. Mas aqui parece que tudo faz sentido; todas as árvores ganham lampadinhas minúsculas; nessa época também acontecem as feirinhas de natal, cheias de produtos típicos, bolachas decoradas e comidinhas diversas. Ainda vou mostrar mais detalhes dessas feiras, pois são bem interessantes.

Pensei que quando chegasse ia querer andar menos na rua por causa do friozinho (ainda está bem suportável, na faixa dos 6 graus — amanhã a temperatura já cai a zero segundo a previsão do tempo), mas meu deslumbramento por Berlin só faz crescer…

Bom, mas vou estudar que amanhã tem prova (preciso saber em qual nível vou entrar agora, uma vez que perdi quase 40 dias de aula).

A gente ainda precisa comprar cortinas, mas não sei não. Perder uma paisagem dessas?
É tanta folha que precisa até de máquina para recolhê-las
Tapete mais lindo
As árvores estão cheias de luzinhas, pena que não dá para ver direito
Aqui dá para ver um pouco melhor
São apenas 5 da tarde...

6 Responses

  1. Avatar
    27 novembro 2011 at 5:21 pm

    Será que ai também consideram folhas no chão como sujeira? Infelizmente aqui poucos curtem este belissimo evento.

    • Avatar
      28 novembro 2011 at 7:33 am

      Oi, Clotilde
      Eu também acho triste quando as pessoas consideram “sujeira” aquela visão linda da terceira foto. Tenho um pequeno quintal (14 x 15 metros) onde temos uma piscina e muitas árvores (pé de ameix, pitanga, jabotica, ficus, jasmin, coqueiros, goiabeira, bouganvilles e muito mais coisas). Não falta “espírito de porco” pra sugerir que eu corte as árvores, pra deixar o quintal mais limpo.
      Hoje em dia nem respondo mais!

      • Avatar
        28 novembro 2011 at 5:09 pm

        São uns insensíveis, nem merecem um espetáculo desses, pois fecham os olhos a eles. Abraços, Ênio Padilha.

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      30 novembro 2011 at 2:07 pm

      Oi!

      Acho que o pessoal aqui não se importa muito com as folhas não, até porque faz parte da paisagem e assinala a passagem do tempo (é tão mais legal quando as estações do ano são bem definidas!).

      Eles têm que limpar (lógico), pois o volume é monstruoso, mas acho que o povo curte a paisagem coberta de folhas, até porque essa cidade tem tanta área verde que mostra bem que seria vergonha alheia cimentar qualquer pedaço de chão só por causa disso…

      Beijinhos alaranjados e saudades 🙂

  2. Avatar
    28 novembro 2011 at 7:44 am

    Ligia
    Queria pedir um favor, aproveitando que tanto você quanto o Conrado são engenheiros.
    Preciso de informações sobre a organização profissional de engenheiros, arquitetos e agrônomos na Alemanha.
    Eles têm algum conselho profissional como o nosso Crea/Confea? Têm sindicatos próprios? Entidades de Classe? Existe alguma lei que regulamente as profissões?
    Essas três profissões têm, aí na Alemanha, sombreamentos de atribuições e rivalidades profissionais como as que vemos aqui no Brasil?
    Se você puder me escrever alguma coisa a respeito ficarei agradecido.

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      28 novembro 2011 at 5:47 pm

      Oi, Ênio!
      Vou perguntar para o Conrado e depois respondo por e-mail, tá?
      Abraços 🙂

Leave A Reply

* All fields are required