Sem uma palavra

Eu não conhecia Linwood Barclay; depois de ler “Ohne ein wort” (tradução livre: “sem uma palavra“), vou procurar outras obras dele.

O thriller conta a história de uma menina de 14 anos rebelde que foi pega em flagrante pelo pai no carro do namorado problemático. Levada para casa emburrada, levou uma bronca e foi para seu quarto, não sem antes reclamar aos berros que queria que todos morressem.

No dia seguinte, quando acordou para ir à escola, a casa estava completamente vazia. Seus pais e seu irmão mais velho desapareceram como que por encanto, sem deixar pistas; nem ao menos um bilhete ou recado. Simplesmente sumiram.

Vinte e cinco anos depois do ocorrido e sem nenhuma notícia, a moça, agora já casada e com uma filha pequena, resolve participar de um programa sensacionalista na TV na esperança que alguém possa ter alguma informação sobre o paradeiro de sua família. São muitas perguntas sem respostas: por que os carros de ambos os pais sumiram? Por que ela foi a única que ficou? O que realmente aconteceu? Será que estão todos mortos ou ainda vivem em algum lugar longe dela?

Bem, coisas estranhas e sem explicação começam a acontecer, fazendo com o que o marido chegue a questionar a saúde mental de Cynthia, a protagonista.

A história vai se desdobrando de maneira bem criativa; prende a atenção até o final.

Descobri que o autor tem bastante coisa publicada, inclusive algumas obras de humor. Vi também que tem a tradução em português (“Sem tempo para despedidas” é o nome da versão).

Vou procurar outros livros dele; gostei muito e recomendo!

1 Response

  1. Avatar
    Alcione de França Ribeiro
    Responder
    24 março 2020 at 11:30 am

    Quando terminar de ler o Design Desmodrômico com certeza vou querer ler esse. Obrigada pela dica preciosa!!!

Leave A Reply

* All fields are required