Favela alemã?

Lembro até hoje da primeira vez que, de dentro de um trem, avistei um Kleingartenverein (também conhecido como Schrebergarten). Era final de outono e o lugar parecida uma favela; um terrenão cheio de tralhas e construções estranhas. Aliás, eram vários lotezinhos com barracos de madeira, sempre separados por cercas e com muito mato em volta.

Ué, mas na Alemanha tem favela?

Não se preocupe, não tem não.

Aquelas “comunidades” não eram de fato favelas. Mas olha só que curioso (sei lá porque ninguém fala a esse respeito, já que a ideia é tão sensacional): os alemães são tão apaixonados por jardinagem que eles arrendam lotes na perferia das cidades só para poder cultivar suas próprias flores, já que a maioria mora em apartamentos pequenos. Não é lindo?

A ideia surgiu na época da revolução industrial, quando a vida dos operários era realmente miserável. Além de morarem em pulgueiros e trabalharem demais, os pobres comiam muita porcaria. Foi aí que um médico da cidade de Leipzig, o Dr. Daniel Schreber teve a ideia de pegar um terreno grande e separar em lotes (numerados, claro, estamos falando da Alemanha..rsrsr). Ele organizou uma espécie de comunidade e incentivou cada operário a plantar sua própria comida e flores (que, na cultura alemã, são quase tão importantes quanto).

Além de relaxar trabalhando com a terra e plantando suas próprias sementes, a alimentação também ficou mais saudável. Os terrenos são bem pequenininhos (é para não caber uma casa mesmo, pois a ideia não é essa); então eles têm no máximo uma cabana ou rancho para guardar ferramentas, insumos e cadeiras de sol. Os ranchos também são necessários para instalar pias ou tanques para as tarefas de plantar e regar. O capricho é tamanho que alguns terrenos têm chalezinhos que parecem de brinquedo, de tão bonitinhos.

No inverno o lugar é feio, claro, cheio de barraquinhas e apetrechos diversos de jardinagem (por isso achei que fosse um tipo de favela). Mas na primavera, tudo se transforma. As lojas ficam cheias de ofertas de ferramentas, sementes e vasos; parece que fazem concurso para ver quem faz o jardim mais lindo.

Aliás, lindo não, idílico. Suspeito que, no fundo, os alemães são muito românticos no sentido de ter uma vida de contos de fadas. Observando esses jardins, dá para ver duendes, princesas, bichinhos diversos, flores para todos os lados e arranjos caprichados. A impressão é que cada um constroi seu próprio mundo de fantasia particular e se entrega aos detalhes do fundo do coração, como se estivesse brincando de casinha. Deve funcionar como uma espécie de refúgio perfeito para escapar dos problemas.

As famílias vão todo final de semana e as crianças adoram. Olha só; não é uma ótima ideia para desestressar esse povo das grandes cidades brasileiras?

Pena que se os governos já são pão-duros para construir praças e áreas verdes, imagina ter um terreno enorme só para as pessoas plantarem suas flores…

Mas não custa sonhar, né? Tirando os duendes, os bichos de cimento e os anões de jardim, o resto é muito lindo; dá só uma reparada…

Quer ver mais fotos? O álbum completo está aqui, no Flickr.

8 Responses

  1. Avatar
    Clotilde♥Fascioni
    Responder
    1 maio 2013 at 5:07 pm

    Achei lindo , me passou que todos nós temos no nosso coração um cantinho desses com duendes e tudo….

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      1 maio 2013 at 6:09 pm

      O meu é sem duendes….ehehehehehehe
      Beijos 🙂

  2. Avatar
    2 maio 2013 at 1:42 pm

    Na Inglaterra também tem, mas era prá hortas. Não sei se ainda existem, acho que sim.

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      4 maio 2013 at 4:03 pm

      Oi, Clarissa!
      Aqui também existem projetos especiais para hortas comunitárias, mas são de outro tipo. Geralmente em praças e mais dentro da cidade…
      Abraços 🙂

  3. Avatar
    Rosana Steinke
    Responder
    3 abril 2016 at 9:13 pm

    Achei bem curioso e como gosto do tema fui pesquisar. Achei esse artigo: http://www.snh2015.anpuh.org/resources/anais/39/1434421844_ARQUIVO_textoAnpuh-AngelaB.Lima.pdf

  4. Avatar
    3 abril 2016 at 10:16 pm

    Gosto muito dos seus textos, mas posso fazer uma sugestão? Ficaria melhor pra quem tem dislexia, como eu, que o espaçamentos dos seus textos fossem maiores, assim como a fonte 🙂 Fica a dica e parabéns pelo conteúdo. Não vejo a hora de conhecer a Alemanha.

  5. Avatar
    Luiza Carreirao
    Responder
    4 abril 2016 at 5:56 pm

    Oi Ligia,
    Que lindos os jardins! E sao grandes, ne? Aqui em Montreal e em Sao Francisco tambem eu vi jardins comunitarios, onde cada um tem um pequeno lote (deve ser uns 2 metros por tres) para plantar vegetais e flores. Normalmente, como disseste acima, sao bem no meio da cidade. Em alguns bairros de Montreal tambem ha canteiros publicos com vegetais, assim, no meio de uma calcada qualquer. Mas essas fotos que publicaste sao muito lindas, parece que os lotes sao do tamanho de um quintal de verdade!

  6. Avatar
    Helena
    Responder
    5 abril 2016 at 8:28 pm

    Isso também aconteceu comigo, rsrsrs !

* All fields are required