Os presentes que a vida nos dá…

Tudo começou quando o Flávio Torres, de Belo Horizonte, me mandou uma mensagem inbox, dizendo, de uma maneira educadíssima, que se sentia subestimado quando eu colocava a descrição para cegos nas fotos. Do ponto de vista dele, era um deboche eu descrever fotos que todo mundo estava vendo. Se eu fazia realmente questão de descrevê-las, poderia usar algo como “meu olhar” em vez da grosseira “descrição para cegos”.

Continue reading “Os presentes que a vida nos dá…”

A arte de viajar com arte

Berlim tem muita história, mas nem todo mundo sabe que também tem muita arte. E num nível que não fica nada a dever às grandes metrópoles do mundo. Mas como saber o que ver entre 175 museus e mais incontáveis galerias? Esse casal querido te ajuda.