50 tons de bege

Fotografia: Natalia Kolesnikova

Não é a primeira vez que tenho que escolher um piso para minha cozinha, mas achei que agora ia ser diferente. Estou em Berlin, cidade das mentes abertas e das pessoas coloridas.

Vã ilusão.

Tal como no Brasil, é tudo, mas absolutamente tudo bege. Quando eu falei 50 tons, menti. Na verdade, devem ser bem uns 5000 tons de bege à disposição da pessoa que não quer se arriscar.

Penso que a casa diz muito sobre a pessoa, principalmente se ela teve oportunidade de escolher os acabamentos (num apartamento alugado isso é mais difícil). Mesmo assim, dá para “ler” a habitação e deduzir se quem mora lá é uma pessoa conservadora, se é preocupada com a ecologia, se é ligada em marcas e rótulos, se é despojada, se gosta de uma baguncinha aconchegante ou prefere casa de revista. Se gosta de tradição ou prefere rock’n roll, se é religiosa ou mais desencanada. Se admira arte abstrata, se gosta de plantas, se ama de bichos, se lê muitos livros, se valoriza o luxo, se curte artesanato ou fotografia. Se tem filhos ou não. Enfim, a casa é como a roupa e os objetos da pessoa; serve para traduzir e comunicar quem é seu dono.

Que a pessoa use roupas convencionais e não pense muito a respeito, até dá para entender. Muitos preferem o conforto do tradicional para não correr o risco de serem mal interpretados.

Mas a casa, minha gente? Não entendo porque uma casa deva ser toda bege. A casa é o refúgio do seu dono, onde ele pode ser o que bem entender. Na casa só entra quem a pessoa quiser e mesmo assim, quando ela assim o desejar.

Dentro de casa, cada um vive seu mundo sem ter que dar satisfações para ninguém. Se minha mesa de cabeceira é feita de caixas de chocolate empilhadas, problema meu e de quem mora comigo. O chefe, os parentes, os amigos, a sociedade civil organizada, ninguém precisa saber ou ter opinião a respeito.

É diferente do meu cabelo. Posso pintá-lo de azul, mas como está exposto, muitas interpretações são possíveis. Longe de mim achar que todo mundo precisa ter cores convencionais de cabelo; estou apenas tentando demonstrar que a casa é um esconderijo só seu, completamente protegido dos olhares alheios (se você quiser assim).

De novo: então por que o piso tem que ser bege? Por que não pode ser laranja, lilás, amarelo ou roxo? Por que tanto bege, deosdocéu?

O mundo é do bege e sua priminha sonsa, a “areia”. O bege é o que não decide, o que não assume, o que deixa como está. O bege é a não cor. É a coisa que se pretende invisível, que não quer ser notada. O bege não ousa, não emite opinião, não se mostra. O bege se mimetiza e finge que não existe. É a sujeira escondida, é a poeira em toda sua onipresença incômoda.

Não bastasse meu desprezo gratuito por essa cor, esse por si já seria um motivo: como vou manter o chão limpo se não consigo ver o que não devia estar lá?

Beges são aqueles que se fazem de mortos, não se comprometem com nada,  tentam passar despercebidos para garantir seu lugar sem ninguém notar.

Em todas as intervenções mais ou menos radicais que fiz nos apartamentos onde morei (tipo derrubar todas as paredes), sempre tinha alguém bege para alertar: mas assim ele perde o valor de venda; a próxima pessoa pode não gostar dessas ousadias.

Bolas, como assim vou passar anos da minha vida morando num lugar que não é a minha cara em detrimento do possível gosto de alguém que nem sequer conheço? Comprar um carro prata porque é mais fácil de vender? Pintar o prédio de bege porque não desvaloriza o imóvel? Que vidinha mais triste essa de viver para agradar estranhos (que talvez nem gostem de bege tanto assim; é possível que também já comprem pensando no valor de mercado). Uma corrente bege infinita, de gente desbotada e sem graça.

Sim, pode ser que você realmente goste de bege. Gosto é gosto e não se discute, no máximo se opina (que é o que estou fazendo agora).

Mas acho injusto que os beges tenham um mundo de escolhas à sua disposição e as outras pessoas não tenham quase nada. Se quiserem algo diferente, precisam mandar buscar lá na casa da pandorga pagando um preço abusivo por algo que nem é tão especial; só porque não é bege.

Meu sonho de consumo: que todos os objetos possíveis pudessem ser escolhidos em uma cartela Pantone®. Você escolhe e pronto, é o mesmo preço para qualquer cor (inclusive os vários beges).

Fala sério: é pedir muito uma cozinha com piso Cyan?

15 Respostas

  1. Jeff
    Responder
    29 janeiro 2013 at 6:10 pm

    Estou de alma lavada aqui, rsrs, você falou tudo o que também penso sobre a tal cor bege. Boa sorte na reforma!

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      29 janeiro 2013 at 6:43 pm

      Aahahaha… Obrigada, Jeff! Não é reforma. O apartamento está sendo construído (só fica pronto em 2014, então ainda tenho tempo de procurar…ehehehe).
      Abraços 🙂

  2. Pri-k
    Responder
    1 fevereiro 2013 at 1:01 am

    Linda,
    Amei o texto, apesar de nunca ter me colocado tão contra o bege como agora… hehehe… Quanto ao carro prata sempre pensei assim, estou comprando o carro ou qualquer coisa do tipo pra mim e não para vender, aliás nem sei se estarei viva até lá.

    Certamente a cozinha com piso cyan vai ficar um arraso.

    Bjx 😀

  3. Marciane Faes
    Responder
    8 março 2013 at 12:51 pm

    Mesmo preço para qualquer cor.
    Sim, é o que o mercado espera e pratica, seja em roupas, sapatos,
    mas o custo das cores varia.
    Os pigmentos vermelhos são os mais caros. O preto, mais barato.

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      8 março 2013 at 5:04 pm

      Oi, Marciane!

      Isso eu até entendo (é verdade, não tinha me lembrado que os pigmentos vêm de fontes diferentes), mas o bege é só um sujo, por isso é tão barato; será? faz todo sentido…eheheheh

      Obrigada 🙂

      • Marciane Faes
        11 março 2013 at 11:59 am

        Ligia,
        O bege é o meio termo entre o preto e o vermelho em termos de preço.
        Quando você vê um bege, vê um processo de formação de cor que levou os pigmentos
        Bianco, Nero, Giallo e Rosso.
        O bege carrega em si uma bandeira alemã!

      • ligiafascioni
        ligiafascioni
        11 março 2013 at 6:29 pm

        Uau, que aula de cores! Adorei!!!! Mas não quero bandeira alemã na minha cozinha não….eheheheheheh

  4. Marciane Faes
    Responder
    12 março 2013 at 12:09 pm

    Ligia,
    Nessa de falar de cores lembrei do Kieslowski:
    A Fraternidade É Vermelha / A Igualdade É Branca / A Liberdade É Azul
    Como completarias?
    ……….é Amarela / ……….é Vermelha/ ………….é Preta

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      12 março 2013 at 12:11 pm

      Ahahahaha… é mesmo, essa série é linda!

      Eu completaria:
      a alegria é amarela
      a energia é vermelha
      a elegância é preta
      ….

      a Lígia é cor de laranja 🙂

  5. Marciane Faes
    Responder
    13 março 2013 at 9:33 am

    Ligia,
    Revelador: o laranja é uma cor que não se torna bege porque não leva o nero.
    E busca tornar-se mais intenso juntando à combinação existente, ele mesmo, Arancio.

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      13 março 2013 at 9:34 am

      Aahahahahahaha…. nossa, que máximo essa sua análise (quer dizer, não sei bem se gostei; parece que estou muito concentrada no meu próprio umbigo…ehehehe). Mas você já pensou em analisar a personalidade das pessoas perguntando a cor preferida? Muito legal!!!!

  6. Marciane Faes
    Responder
    13 março 2013 at 3:18 pm

    Ligia,
    E os objetos em que bege e laranja são/estão lado a lado?
    Até mesmo aqui no teu blog, o campo em que escrevemos tem fundo bege.
    Mas veja o que fica destacado em laranja de nossas produções: o tempo (tão precioso),
    data e hora, em que foram enviadas/publicadas.

    • ligiafascioni
      ligiafascioni
      Responder
      13 março 2013 at 5:10 pm

      Claro, como qualquer não-cor o bege é ótimo para destacar as outras cores que estiverem ao lado dele, mas no caso do blog não é bege, mas cinza-claro (outra não-cor). Fiquei curiosa; no seu computador aparece como bege?

      De qualquer maneira, o objetivo é justamente que ele destaque sem aparecer. Mas, no caso, eu queria que o chão da minha cozinha aparecesse…rsrsrsrsrs

      Beijos 🙂

  7. Marciane Faes
    Responder
    14 março 2013 at 10:29 am

    Estou te enviando um print da tela.
    O retângulo do copyright está cinza claro.
    Já o retângulo da escrita dos comentários, é um bege (vamos conceder) acinzentado.
    Bom, quanto ao piso da cozinha…vi uma sugestão decorativa de adesivar (axadrezar)para renovar…seria o caso de adesivo laranja no piso bege?….(rsrsrsrsrs)

Deixe um comentário

* Todos os campos são necessários