Bendito caso: epílogo

Se você não leu ou não se lembra, leia as partes 1 e parte 2 para entender a história.

*****

Bem, entreguei meus “filhos” para a Leve Design e aguardamos. Uma semana depois, foi nos enviada a nova marca.

BP_MARCA_HORIZONTAL_POSITIVO_0615

Quando vi a proposta, não vou enganar ninguém: fiquei um pouco chocada. É que tanto a Cássia como eu pensamos que o trabalho seria apenas redesenhar o espelho de uma maneira mais profissional.

Mas as meninas do estúdio não são desenhistas; são designers de verdade (e das boas). Elas repensaram a marca na íntegra.

O primeiro sentimento foi de estranheza, pois não reconheci meus conceitos lá. Depois, analisando minha reação, entendi que era puro apego: o redesenho conseguiu aproveitar tudo dos conceitos desenvolvidos antes. As aplicações da marca, com direito a variação horizontal, monograma e estampa, definitivamente conquistaram nossos corações e mentes.

bendita.001

Fazendo uma autoanálise entendi o que significa colocar em prática o que sempre defendi:  quando a gente tem foco no cliente, e não no umbigo, desapegar é fácil (ainda mais se o trabalho do profissional ficou evidentemente melhor que o seu).

O resultado é uma marca que me encheu de orgulho ter participado da concepção: uma autêntica experiência de co-criação muito gratificante para mim e, pelo que conversamos, para todas as partes envolvidas.

É sempre um prazer trabalhar com gente competente e ver o final feliz acontecer. Nesse projeto, cada uma fez o que sabe fazer melhor: eu desenvolvi o conceito a partir da identidade, a Leve Design projetou a marca gráfica e a Cássia vai fazer tudo isso virar um sucesso.

Aliás, nossa super empreendedora preparou um depoimento mostrando o ponto de vista dela nessa história toda. Está lá no site da Bendita Pele; clique aqui para ler.

***

BÔNUS: Depois dessa trabalheira toda, não consegui resistir e vou compartilhar a experiência hilária que a Cássia teve quando mandou fazer a placa que ficaria na fachada da loja. Ela mandou os arquivos para a empresa e olha o que a pessoa manda de volta, como solução para a fachada dela:

placa

A moça quase teve uma síncope quando viu isso e respondeu que a designer iria surtar se a placa ficasse assim, que era para fazer exatamente como estava no desenho. O responsável afirmou categoricamente que não precisava ser exatamente igual, que ela podia confiar porque ele sabia o que estava fazendo. Ele também era formado em design…. aiaiai!!!

9 Respostas

  1. Ricardo Martins
    Responder
    22 julho 2015 at 9:19 am

    Excelente, ficou muito bom 🙂

  2. Cassia
    Responder
    22 julho 2015 at 9:49 am

    Amei esta última parte minha querida. Tenho muito orgulho de ter você como uma das “mães” da minha marca. Mais uma vez muito obrigada! Quanto a empresa que faz as placas não tive coragem de fechar com eles, contratei outra, rsrs.

  3. Eduarda Antunes
    Responder
    26 julho 2015 at 12:12 am

    Olá, Ligia Fascioni

    Descobri o blog pesquisando sobre uma citação sua de 2005 que não achei em lugar nenhum no google, e o site que consta na bibliografia de um dos trabalhos que estou usando como base para meu tcc, não existe mais…. no trabalho diz que o título da referência é “O que é mesmo design?”:

    O termo Design foi criado na época da revolução industrial. Com a possibilidade de
    se fabricar produtos em escala, a primeira idéia foi tentar reproduzir a estética conhecida até
    então, dos produtos elaborados e produzidos por artesãos talentosos. Então, vários grupos de
    artistas e intelectuais se reuniram para tentar elaborar um conceito que se permitisse
    conceber produtos que já fossem pensados, desde a idéia inicial, para serem produzidos em
    escala, apresentando formas simples com um mínimo de partes e um máximo de
    funcionalidade (FASCIONI, 2005).
    FASCIONI, Lígia. O Que é Mesmo Design? Informações disponíveis na Internet.
    Disponível em: Acessado em:
    17/03/2005.

    Preciso de um link válido, me dá uma ajuda?

    P.S.: Ah, sou estudante de Engenharia de Produção e o meu tcc trata sobre o Design Thinking.

  4. Beatriz Fazolo
    Responder
    5 agosto 2015 at 5:44 pm

    Consegui finalmente ver o final do caso!

    Simplesmente sensacional!
    O papel da Cássia como cliente também foi essencial, de se permitir e conseguir enxergar o trabalho do designer no envolvimento do trabalho. Parabéns a todos as envolvidas. Com certeza já está sendo um sucesso! 🙂

  5. 25 abril 2016 at 6:04 pm

    Parabéns! É assim mesmo, o processo normal é de vários dias de maturação, sujeito a soluções diferentes e surpreendentes na reta final. Quanto a empresa de placa, deve ser do tipo que “cria” um logo em meia hora, bem baratinho porque é um desenhinho.

Deixe um comentário

* Todos os campos são necessários